#5 Subperfil em criptomoedas – Série: Home Equity

homsubperfis em criptomoedas

Você se lembra que no artigo #3 desta série que iremos distribuir os recursos alocados em Criptomoedas em 3 modalidades, que chamamos de SubPerfil. Então bora lá explicar cada um deles, seus riscos por operação e porque possuem essa nomenclatura.

image.png
Gestão por Subperfil – Criptomoedas

😰 Subperfil Aposta

Alocamos aqui 1% do CT e distribuímos em 5 criptos (você pode fazer com mais), geralmente de baixo valor e/ou sem tanta atratividade/volume. Assim, temos cinco alternativas de rentabilizar, mas sem prazo mínimo para permanecer posicionado. O risco p/ alocação é de no máximo 50%, no qual tentaremos manter uma média de risco abaixo de 25% para as que derem errado. Aqui buscamos oportunidades para ir posicionando através das frequências D e S, se colocármos R$ 30k aqui, posicionamos R$ 6k em cada investimento.

Esse Subperfil tem esse nome pois, como boa parte das alocações serão feitas em criptomoedas de baixo valor e atratividade, as circunstâncias para uma alta significativa começam a ficar improváveis e/ou demoradas, sendo necessário os investidores voltarem sua atenção para ela (independente do motivo, pra gente pouco importa), causarem uma locomoção que gere atratividade aos demais e, consequentemente, uma eventual explosão nos preços, mesmo que momentâneo.

Claro que não posicionaremos de qualquer forma, em qualquer local. Iremos analisar a movimentação e tendência dos preços, monitorando o fluxo e volume financeiro, justamente para avaliar se ainda existem circunstâncias coerentes para se manter nessa posição.

A habilidade aqui é saber buscar oportunidades que possuem de fato algum potencial de valorização, evitando as que ainda não pararam de cair. Dito isso, para que os recursos alocados nesse Subperfil não se desvalorize repentinamente avaliaremos, pelo menos, se temos uma frequência D ou S em movimento ou tendência de alta já presente.

😏 Subperfil Giro

Alocamos 3% do CT distribuídos de 5 a 10 criptos, dando preferência para as que estão em evidência no momento, com alto volume e volatilidade direcional. Utilizaremos as frequências de 60′, D e S, com risco máximo de 40%, mas buscando manter uma média de risco abaixo de 20%. Os trades aqui são rápidos, durando em média 1 semana, mas podendo até mesmo entrar e sair no intraday.

As operações rápidas, dão o nome a esse Subperfil, já que buscar pontos coerentes de continuidade da alta dos preços, atrelada ao fluxo presente em suas negociações, faz com as regiões de atuação sejam justas para o risco tolerável. Mas, principalmente, por serem operações nas quais iremos administrar os riscos e ganhos mais de perto, buscando extrair lucros dos movimentos ou das pernas de uma tendência existente.

Para que não vire uma mera aposta, essas criptomoedas precisam estar em um momento de evidência no mercado, no qual a própria continuidade de interesse dos investidores internos e a entrada de novos, aumentará a probabilidade de alto que já está ocorrendo, continuar a ocorrer, lucrando nesse vácuo criado. Claro, de forma totalmente técnica e lógica, sem subjetividades ou inutilidades.

🧐 Subperfil Posição

Alocamos 4% do CT e distribuímos de 5 a 10 criptos, dando preferência para as mais sólidas, geralmente as 50 maiores. Iremos utilizar a mesma metodologia da série #façavocêmesmorenkoprop, já que serão realizadas várias entradas, visando permanecer por meses ou anos, gerindo as posições com aumento, redução ou manutenção das posições, com risco máximo de 50% por alocação.

Os investimentos realizados aqui são demorados, no qual demanda paciência do trader/investidor para não se precipitar ao realizar os novos aportes possíveis. Caso contrário, poderá ficar pendurado no topo de uma alta sem ter o que fazer. São posições nas quais o mercado ou ativo específico precisa virar contra as expectativas e, aí sim, lhe tirar da operação.

Para que não se torne um giro desesperado, entra e sai a todo momento, é necessário focar em frequências de movimentos maiores retirando, desta forma, os ruídos presentes no curto prazo (e que fazem o investidor impaciente pular fora rapidamente). Quedas, até certo ponto, são suportadas e visualizadas como novas oportunidades de entradas, mas jamais numa tentativa de lucrar qualquer coisa a todo custo.

Gestão do Subperfil

Após distribuir os recursos nesta Categoria, chega o momento de alocar em cada modalidade para mensurar o risco compatível ao Capital Total.

Aqui, iremos tolerar um risco mensal de 0.7% sob o CT, tendo como objetivo médio mensal um retorno de 3.3%. Ou seja, vamos tentar, mês a mês, seguir esse planejamento, sabendo que irão ocorrer meses com mais e menos resultado que os objetivos, mas após cada período anual, faremos uma apuração se a média de retorno mensal ficou acima, abaixo ou em linha com o planejado.

Ah, o risco é sempre respeitado, não pode ultrapassar, sendo que durante o período, através da gestão e controle das posições, iremos aumentar ou diminuir a exposição para controlar esse ponto.

Alocação, Riscos e Metas do Subperfil em criptomoedas
Riscos e Metas – Subperfil de Criptomoedas

Logo, repare que mesmo os riscos e objetivos sob o CT estando “OK”, aí dentro das Criptomoedas estamos topando um risco mensal de 9% sob o capital alocado nelas, tentando buscar uma rentabilidade média de 41%.

Se isso é alto ou baixo, depende com o que você irá comparar. Se fizer isso com as ações, fica surreal, não sendo o correto. Lembre-se que as cripto são extremamente voláteis, podendo cair 20, 30% no dia ou subir 100, 200, 500% em outro, semelhante às opções de ações, mas sem vencimento rsrs.

E difícil ou fácil, ai sim entra a habilidade, conhecimento e aptidão de cada investidor, essas são nossas métricas, TOTALMENTE compatíveis e REAIS ao planejamento realizado, possíveis de serem atingidos.

Quer um exemplo?! Nestes 4 meses do ano, eu aloquei R$ 30k no subperfil Aposta, e após algumas dezenas de operações, esse capital se transformou em R$ 400k, ou seja, batei a meta do ano ali em 4 meses. Um operação, alocado R$ 6k, virou R$ 175k em 20 dias.

Isso vai se repetir? Não temos a mínima ideia, mas continuamos trabalhando em busca dos objetivos de curto, médio e longo prazo.

Até breve!!!

Perdeu o artigo #4 desta série?

Acompanhe também no Instagram Youtube.

#homequityRenkoProp

#6 Volatilidade das criptomoedas – Série: Home Equity
volatilidade das criptomoedas

Entenda neste artigo o tamanho dos riscos nos investimentos em criptomoedas, baseado na volatilidade dos movimentos. E exatamente com nas Veja mais

#4 Exchange e Códigos – Série: Home Equity
exchange de criptomoedas e seus codigos

Para realizar suas operações, em criptomoedas, é fundamental saber escolher por onde (exchange), mas também saber o que negociar (códigos). Veja mais

#3 Criptomoedas – Série: Home Equity
criptomoedas renkoprop

Neste artigo iremos falar das características desse tipo de investimento, demonstrando como separamos as suas modalidades para alocar o capital Veja mais

#2 Série: Traders Rentáveis – 7 coisas inúteis que não fazemos

Traders Rentáveis: Nesse "capítulo" vamos abordar sete meios inúteis para se decidir entrar em uma operação ou investimento na renda Veja mais

1 comentário em “#5 Subperfil em criptomoedas – Série: Home Equity”

  1. Pingback: #6 Série: Home Equity - Volatilidade das criptomoedas - RenkoProp

Comentários encerrados.

Rolar para cima